O HOMEM DA MÁFIA

killing_them_softly_ver4

9.0Jackie Cogan (Brad Pitt) é um experiente criminoso contratado para restaurar a ordem após três bandidos de quinta categoria assaltam um jogo de cartas bancado pela Máfia, e causam um colapso na economia criminosa local.

Suspense policial que foi mal nas bilheterias do ano passado, até por seu ritmo lento e repleto de diálogos. Mas não se enganem por isso. O HOMEM DA MÁFIA é um filmaço com todas as letras. Dirigido e escrito por Andrew Dominik (O ASSASSINATO DE JESSE JAMES PELO COVARDE ROBERT FORD, onde dirigiu o astro Brad Pitt pela primeira vez), o filme é uma viagem ao mundo do crime, ambientado em uma Nova Orleans ainda devastada pelo furacão Katrina. O interessante em O HOMEM DA MÁFIA é o paralelo que Dominik traça entre o submundo do crime e a economia americana. Ambientado na época das eleições entre Barack Obama e John McCain, onde a economia americana se encontrava (e ainda se encontra) em um momento delicado, o filme é provocador, menosprezando e ironizando as mensagens de esperança transmitidas pelos políticos, e revelando perigosas semelhanças entre os criminosos e os indivíduos no poder. São universos totalmente diferentes, mas com uma estranha mecânica semelhante em seus funcionamentos. Com uma fotografia primorosa, o filme tem em seu destaque maior, o excepcional elenco. Onde, por curiosidade, apenas UMA mulher faz parte, em um papel descartável. Gostaria de reservar um espaço para falar sobre o protagonista, Brad Pitt. Chamá-lo de astro já não faz mais sentido. Brad Pitt amadureceu e se tornou o melhor ator de sua geração. Engatando um excelente filme atrás do outro, Pitt melhora e recicla suas atuações a cada projeto do qual participa. Aqui, entrando em cena apenas com quase meia hora de filme, em uma sequência primorosa ao som de “When The Man Comes Around” de Johnny Cash, Pitt imediatamente muda a cara do filme e o alça à um patamar superior. Ainda no elenco, participações excelentes de Scoot McNairy (revelado no bom suspense MONSTROS) e Ben Mendelsohn (ator australiano que vem crescendo cada vez mais na carreira, onde brilhou em filmes como REINO ANIMAL), nos papéis dos bandidos que acabam roubando mais do que poderiam dar conta;  James Gandolfini (FAMÍLIA SOPRANO), no papel de um veterano assassino de aluguel consumido pela depressão; Richard Jenkins (DEIXE-ME ENTRAR, QUEIME DEPOIS DE LER), mais uma vez em um papel onde as palavras são sua maior arma, no papel do intermediário entre a Máfia e o personagem de Pitt, e Ray Liotta, no ingrato papel do administrador do jogo de cartas que é assaltado no filme, e cujo trágico destino rende as duas melhores e espetaculares sequências do filme. O HOMEM DA MÁFIA é um retrato sem firulas do quanto a criminalidade evoluiu na sociedade, tornando-se dantescamente uma fatia da economia americana. E o personagem de um brilhante Brad Pitt, particularmente na sequência final do filme, faz questão de ressaltar o quanto nós, meros membros da sociedade, estamos sozinhos.

VEJA O TRAILER DO FILME AQUI:

KILLING-THEM-SOFTLY-POSTER-header

Deixe seu comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s